A Vertigem do Acúmulo

Tenha por base os textos e as informações a seguir para desenvolver sua redação:

A Vertigem do Acúmulo

Uma doença pouco conhecida vem, pouco a pouco, se manifestando no mundo contemporâneo: a ―síndrome de Diógenes‖. Para melhor entender esse mal, leia os textos a seguir e atente para a imagem que os complementa:

A síndrome de Diógenes consiste em um transtorno psicológico e comportamental. A pessoa que sofre com a doença tem dois distúrbios associados: incúria, que corresponde à extrema negligência da higiene corporal e de sua casa, e silogomania, que faz parte do transtorno obsessivo-compulsivo resultando no acúmulo insalubre de objetos e resíduos.

Quando uma pessoa sofre de síndrome de Diógenes, seu espaço pessoal fica em um estado anormal de insalubridade, a tal ponto que pode perturbar a vizinhança. A acumulação excessiva de objetos de todos os tipos, a ausência de limpeza, a comida estragada, o lixo e até excremento de ani mais ou seres humanos pelo chão causam odores nauseantes. Essas pessoas se deixam invadir e transbordar por essa acumulação de resíduos e objetos e, às vezes, quase não podem mais circular por suas casas.

A síndrome de Diógenes pode afetar todas as classes sociais, sem distinção. A situação socioeconômica do sujeito não importa. Algumas pessoas com a síndrome podem ter um emprego e uma renda alta. Estudos demonstraram que nem o nível de recursos financeiros nem a profissão desempenham papel no desenvolvimento dessa patologia. A síndrome de Diógenes é observada tanto nas pessoas mais desfavorecidas, que vivem em pequenos apartamentos, quanto nas pessoas abastadas, que vivem em casas grandes.

(In: https://www.gentside.com.br/sindrome/sindrome-de-diogenes-acumuladores-compulsivos-definicao-diagnostico-etratamento_art9803.html. Acesso em 31/10/2019.)

Visão interna da casa de uma pessoa com a “síndrome de Diógenes”.

Essa tendência para o acúmulo vem crescendo nos dias atuais, exagerando o fenômeno que o filósofo italiano Umberto Eco (1932-2016) denominou de ―vertigem do acúmulo‖. A metáfora de Eco é bastante precisa, pois o acumulador compulsivo nunca está satisfeito, sempre quer mais, mais e mais. Sua satisfação nunca fica completa, pois é como um abismo sem fundo.

Os acumuladores compulsivos são pessoas que têm grande dificuldade em descartar ou deixar seus pertences, mesmo que já não tenham qualquer utilidade. Normalmente, os objetos acumulados são aleatórios e podem até ser encontrados no lixo, mas o acumulador os vê como coisas necessárias no futuro ou que possam vir a ter valor monetário elevado.

Normalmente, os acumuladores compulsivos apresentam sinais como: dificuldade para jogar objetos no lixo, mesmo quando não têm utilidade; dificuldade para organizar seus pertences; acumulação de objetos em todos os lugares da casa; medo excessivo de ficar sem um objeto; sentimento de que não podem jogar um objeto no lixo; procura por novos objetos, mesmo quando já têm vários exemplares do mesmo.

Esses sintomas podem surgir ainda durante a infância, mas têm tendência a piorar com a idade adulta, quando a pessoa começa a comprar seus próprios pertences.

Não se conhece a causa exata que leva uma pessoa a fazer acumulação excessiva de objetos, no entanto, é possível que esteja relacionada a fatores genéticos, ao funcionamento cerebral ou a eventos estressantes da vida da pessoa.

Adaptado de: https://www.tuasaude.com/acumuladores-compulsivos/. Acesso em 31/10/2019.

A partir das informações constantes dos textos, elabore uma redação sobre a “síndrome de Diógenes”, tratando do fenômeno como uma doença prejudicial ao indivíduo qu